Whatsapp: (33) 9 9122-2882

Portuguese English Spanish

NANÃ

NANÃ

Divindade exclusiva da cultura Fanti-Ashanti, adotada posteriormente pela cultura yorubana. É a mais antiga Ayabá, originária da cidade de Late, em Gana. Nanã conserva consigo o segredo da criação do homem e da própria essência da vida, representando a memória transcedental do ser humano e seus antepassados. Sua origem lendária parece estar ligada aos povos que habitaram a África antes da chegada de Oduduwá. Por isso ela é a dona das águas paradas e dos pântanos, numa referencia às águas primordiais de onde Orunmilá criou a Terra. Nanan detêm o poder sobre os Eguns juntamente com Oyá e é a mãe de Xapanan.

O HOMEM  DE  NANÃ

De cada 500 homens que nascem, apenas um é filho de Nanan. Esta "estatística" já mostra que este é um tipo de pessoa especial do ponto de vista sentimental. É um homem bom, carinhoso, amigo e mão aberta quando se trata de cercar seu amor de cuidados. E isso é coerente com ele que gosta do que é belo, principalmente no que diz respeito à produção visual e é fã de uma vida social movimentada. Sexualmente, prefere parceiras passionais e precisa se sentir bastante desejado. Gosta de perceber se a pessoa amada sente ciúme dele mas não costuma ser feliz no primeiro amor, geralmente por culpa da pessoa com quem viveu. É certo também que tentará de tudo para conservar seu relacionamento e só desistirá dele quando sentir que não há mais saída .

A MULHER  DE  NANÃ

Capaz de tudo por um amor, embora na maior parte das vezes não demonstre isso à primeira vista, a filha de Nanan esconde também o seu lado erótico e sensual. Quem a vê, com aparência tranquila e distraída não imagina que para ela, sexo é uma prática sem limites. Seus pontos fracos são o ventre e os quadris, mas ela só revelará estes e outros segredos íntimos a um homem em quem confiar. E ele deverá preencher alguns requisitos: ser inteligente como ela, delicado, educado e um bom papo. Ela odeia o gênero machão, que a fará extremamente infeliz. O homem que a conquistar não terá do que se queixar: a mulher de Nanan é cúmplice e companheira em tudo e o fará muito feliz .

  

Dia: Terça-feira e Sábado

Número: 13

Côres: violeta, azul e branco rajado

Comida: Feijão fradinho cozido com mel

Saudação: Saluba Nanã, Axé!

Domínio: Pântanos,, igapós, charcos, lama

 

 

Cantiga deste Orixá

Publicidade